sexta-feira, 11 de março de 2016

3º F (Noturno_Vespasiano)

Dê sua opinião sobre o vídeo que acabamos de assistir.

10 comentários:

  1. A reportagem é muito interessante pelo fato de trazer tantos dados sobre a língua, e até mesmo as experiências vividas pelos imigrantes que vão viver fora do país e eles sofrem pela falta da língua e cultura brasileira.

    ResponderExcluir
  2. O vídeo demonstra que embora a lingua portuguesa tenha mais de 250 milhões de falantes , tem ainda pouca influência nos países que não falam portugues

    ResponderExcluir
  3. Robert,Ana vitória e Luanny11 de março de 2016 16:35

    Achei o vídeo muito interessante porque mostra que nosso pais é rico em mais de 250 milhões de falantes da língua portuguesa brasileira, nossa cultura e nossa fala desperta interesses em outros países, e temos que continuar influenciando para que nossa língua e cultura jamais seja esquecida.

    ResponderExcluir
  4. Lucas Silva & Leonardo ( BATATA )11 de março de 2016 16:38

    não e só no nosso pais que é falado a linguá Portuguesa Por isso em países com o linguajar diferenciado o nosso palávriar e estranhado e admirado por muitos

    ResponderExcluir
  5. Segundo a reportagem nossa língua portuguesa brasileira não e muito conhecida mundialmente,pelo simples fato de poucos conhecerem nossa gramática e cultura. Afinal nem nós mesmos conhecemos. Por isso devemos nos qualificar e fazer com que outros países despertem mais interesse em nossa cultura.

    ResponderExcluir
  6. Na minha opinião o video É muito importante pois fala da limgua portuguesa no mundo,existe cerca de 250 milhões de pessoas que falam com diferentes sotaques perdendo apenas pelos idiomas abaixo
    1°Mandarim
    2ºHindi
    3ºInglês
    4ºEspanhol
    5ºÁrabe
    6ºPortuguês

    ResponderExcluir
  7. Anderson e Erick #ta tranquilo11 de março de 2016 16:43

    Boa Noite, Bom achamos o vídeo que o Professor Rone Passou muito Interessante por que ele demostra que não é apenas no Brasil que se fala o Idioma Português e sim em vários países até mesmo na China. E que o Brasil já 250 milhões de falantes do idioma.

    ResponderExcluir
  8. Aleksandra E Gabriela11 de março de 2016 16:43

    O vídeo fala também sobre as dificuldades de falar a língua portuguesa, fala também que o governo deveria apostar em cartazes, cartilhas para ajudar as crianças a não esquecer a língua de origem. Falam também sobre a quantidade de países que moram os brasileiros.

    ResponderExcluir
  9. vimos que a Língua Portuguesa e muito falada no exterior, e admirada pelos estrangeiros,mas nem por isso ela é tão valorizada pelos brasileiros.

    ResponderExcluir
  10. O cigarro de palha e o mineiro
    Alberto Deodato

    O cigarro de palha é genuinamente mineiro. O fumo pode ser goiano. A palha, gaúcha. Mas o cigarro é mineiro. Não é que os filhos dos outros estados não o fumem. O nortista, o sulista, o paulista, todos o fumam. Mas fumador mesmo é o mineiro. os que o fumam, de outros estados, o fazem por vários motivos. Vício. Prazer. Gosto. Cheiro. Fumam e jogam fora como um outro cigarro qualquer. Mas, ao mineiro, o cigarro de palha tem outro sentido e outra profundidade. Não é apenas um pito. O cigarro de palha lhe compõe a personalidade. É um adorno. E, como adoro, enfia a palha no bolso do peito do paletó, para fora, como se fora uma ponta de lenço. É um passatempo. E fica, horas e horas, a catar, no paiol, as palhas mais sedosas da última colheita. É um livro. E senta no banco da varanda fresca, pé espalhado, a pentear, com requintes, as palhas longas e louras, do molho, desgarrado do sabugo. Corta a palha em tamanhos iguais. Empilha-os. Enlaça-os, como se fora artigo de embalagem de luxo. Faz aquilo "maginando". Pensando. Planejando. Longe do mundo, como quem, a cada página de livro filosófico, estivesse tirando conclusões. É uma manifestação de bom-gosto. E, na escolha da palha, do fumo cheiroso, do canivete Roger, da carteira de borracha, que conserva mais fresco o fumo, põe o amor à estética, à vocação para o bonito. O cigarro de palha, para o mineiro, é menos para fumar do que a marca da personalidade, condição da própria existência. Deu-lhe o cigarro de palha a aguda compreensão da vida, porque lhe dá tempo para pensar. Enquanto tira a palha, alisa-a, lambe-a, pica o fumo e enrola o cigarro, passa-lhe a raiva impetuosa. Não faz nada precipitadamente. Nunca responde à queima-roupa. Faz primeiro o seu cigarro para responder. O cigarro lhe dá tempo ao tempo. Não tira, nunca, conclusões apressadas. Anuncia as premissas. Tira o fumo e pica, olhando o interlocutor. Desfia o fumo nas palmas das mãos. Vê a palha. Alisa-a. Acarinha-a. Quando fecha o canivete, tira a binga. Só quando chupa a primeira baforada, com a fumaça, é que conclui a oração. Isso quando não finge que não compreendeu a pergunta. Então, comela tudo de novo.

    O cigarro de palha é o melhor instrumento de política do mineiro. Arranja eleitor com presente de fumo:

    — Isprimenta esse. É goiano.

    E depois de uma pausa:

    — Se gostar, tem mais.

    Quando não quer falar, mas só escutar, tira o rolo de fumo e a palha. E vai indagando, parecendo que não está escutando, porque os olhos só se fixam no cigarro que está fazendo. Parece distraído. Não nega nem afirma nada. Se o companheiro insiste, ele vai respingando:

    — Pois é, né?

    E, depois de escutar bem, joga fora o cigarro que não fumou.

    Foi o cigarro de palha que deu ao mineiro essa admirável astúcia e essa invencível sabedoria política.



    [Não foi possível determinar a fonte bibliográfica deste artigo]


    ResponderExcluir